Sexta-feira, 26 de Setembro de 2008

Associação Animal denuncia colapso de elefante num circo em Tavira

26 de Setembro de 2008 | 14:19 barlavento

 

Um elefante colapsou ontem no Circo Victor Hugo Cardinali, revelou a associação Animal, com base na denúncia de uma apoiante sua residente naquela cidade algarvia.

 
Foto
 
 
 
Elefante caido no chão no Circo Victor Hugo Cardinalli, em Tavira
 
d.r.

 

 

Tal como mostram as fotografias divulgadas pela Animal, um dos três elefantes de Victor Hugo Cardinali que estavam acorrentados e mantidos em péssimas condições, colapsou de repente, tendo ficado no chão.

«A pessoa que viu estes acontecimentos e os fotografou tentou ainda chamar alguém do circo para que fosse chamado um médico veterinário ao local, mas rapidamente foi enxotada do local por uma funcionária do circo», acrescentou a Animal.

Outra fotografia também divulgada por aquela associação de defesa dos animais mostra também um leão em claro mau estado, com um aspecto nada saudável, «o que é deveras preocupante, considerando que, só este ano, um elefante, um leão e um cavalo morreram no Circo Victor Hugo Cardinali», como foi notícia e como documenta o site circense “Circo Espectáculo Vivo”.

Uma outra fotografia mostra ainda o leão branco que Victor Hugo Cardinali «mantém em cativeiro e que força a actuar nos seus cruéis espectáculos de circo».

«O leão branco é uma das mais raras espécies de grandes carnívoros no mundo. No entanto, neste caso, como em praticamente todos, as autoridades portuguesas – Direcção Geral de Veterinária e Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade – continuam a dar uma autêntica carta branca aos circos portugueses para fazerem circular os animais que quiserem, das espécies que quiserem, fazendo-os aparecer e desaparecer de acordo com as suas conveniências, sem qualquer consideração ser atribuída às necessidades destes indivíduos», denuncia a Animal.

Rita Silva, vice-presidente da Animal, salienta que «nos EUA, até já muitos zoos chegaram à conclusão de que é impossível manter elefantes em jardins zoológicos preservando o seu bem-estar».

«Em Portugal, os circos, nomeadamente o de Victor Hugo Cardinali, são livres de porem e disporem de elefantes, mantendo-os em péssimas condições, como e quando queiram. São livres até de exercer violência física contra eles sendo isso do conhecimento público, depois da Animal ter filmado e apresentado provas disso, publicamente e às autoridades competentes, sem que nada lhes aconteça, podendo continuar a escravizar e manter e dispor como quiserem desses animais que foram e são comprovadamente vítimas de abuso, e de outros que entretanto os donos dos circos queiram trazer para Portugal, como Victor Hugo Cardinali fez com este leão branco que mantém confinado no seu circo», acrescentou a mesma responsável.

Segundo Miguel Moutinho, presidente da Animal, «os acidentes com animais em circos portugueses são mais que muitos e repetem-se, sempre para prejuízo dos animais e às vezes também para prejuízo da segurança do público, vez após vez, impunemente».

E recorda: «no início deste ano, dois tigres fugiram de um camião de transporte de tigres do Circo Chen que estava abandonado na berma de uma estrada nacional em Azambuja. Também nessa altura, o reboque-aquário do Circo Aquático Show Cardinali ficou completamente destruído por um incêndio, tendo um dos tubarões morrido nesse incêndio. Em Março, um dos elefantes de Victor Hugo Cardinali morreu. Em Abril, um leão e um cavalo também de Victor Hugo Cardinali morreram. Em Maio, uma criança foi ferida por um lama do Circo Atlas / Walter Dias quando este estava estacionado em Coimbra. Em Julho, uma leoa foi encontrada numa quinta na zona de Lousada, na posse de um agricultor, a quem um dono de um circo terá dado o animal. Já em Setembro, quatro burros fugiram do circo Luftman, estacionado nas Caldas da Rainha, causando um acidente, tendo um dos animais ficado gravemente ferido, acabando por ser abatido».

«Apesar de todos estes episódios, o princípio do “vale-tudo” continua a vigorar na actividade circense com animais em Portugal, ante a inoperância, quer em termos de prevenção, quer em termos de acção sancionatória, das autoridades portuguesas», sublinha Miguel Moutinho.

«Durante este ano legislativo que agora começa, a Animal vai intensificar os contactos que tem vindo a estabelecer com os grupos parlamentares na Assembleia da República para que proíbam a manutenção e o uso de animais em circos em Portugal, no âmbito da nova lei de protecção dos animais que a Animal tem vindo a reclamar ao longo do último ano», afirmou ainda a vice-presidente da organização.

O Circo Victor Hugo Cardinalli está agora a ser montado em Faro, segundo a Animal.

 

 

publicado por Ricardo C. às 17:38

link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.sobre mim

.posts recentes

. .

. Água: Moura gasta menos 2...

. Renováveis são paraíso do...

. «Declaração Universal dos...

. Uma oportunidade para sob...

. Garrano candidato a patri...

. Ave rara observada no ref...

. Bioblitz Portugal 2008

. Um terço das 135 espécies...

. Crimes ambientais têm cas...

.arquivos

. Março 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.tags

. todas as tags

.links

Join the energy revolution - Greenpeace

.ONLINE

online

.Visitantes

html code
managed switches

.subscrever feeds